quarta-feira

Éne á ó !


Um quadro. Vi-te por um retrato. Tacto escuro. Orquídeas pousadas a meus pés. Paredes pintadas de guerra. Destruí o meu próprio quarto -em bocados teus- foram horas e horas, dias e dias, ficou tudo desfeito em minúsculas partículas espalhadas pelo o meu chão. Perdi-me/te no silêncio sem vozes. Deixei-me estar escondido entre o escudo. De lá não quis sair. Não quero. Vou ficar aqui. - Se for para sempre, é! - Tu caíste no chão do meu quarto, destruído. Mas eu já não quero saber! Algures no espaço estelar, vejo-te daqui, os beijos cortantes desligam-se, as mãos prendem-se sem o abraço comum. Foi o fim. E eu fico aqui, escondido sem tu saberes onde. Vejo-te sem te querer ver. E sinto-te da maneira mais incomum de sentir.
Mas a luz apaga-se e a imagem escurece!

14 comentários:

  1. ofereço-te um selo esta nos selos /desafios. $:

    ResponderEliminar
  2. Mas tens alguma razão em especial para escrever menos poesia?
    Obrigada, vou seguir-te também :)
    ps- mais um texto bonito*

    ResponderEliminar
  3. Tens de a encontrar, ainda quero ler algum poema teu recente :)
    De nada! Ainda bem que gostas da música*
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  4. Fascinou-me ! Relembrou-me tanto. Vi tanto do meu passado e do futuro ,de forma metafórica*

    ResponderEliminar
  5. Ha coisas que acontecem. Chama-lhe vida.

    Sim, acho tão bem eu ter posto primeiro como o facto de nem me estares a seguir senhor kiko -.-'

    ResponderEliminar
  6. hey, estava a brincar ! Não precisas de seguir ;)

    ResponderEliminar
  7. Essas tuas palavras encadeadas a sentimentos são tão viciantes +.+

    ResponderEliminar
  8. obrigadooo :')
    - texto mais lindo. wow wow wow !
    beijinhos

    ResponderEliminar