domingo

Paradoxos de sentiemtos num mundo à distância

Caminho numa rua que nem sempre é rua,
E encontro as pessoas que lá não estão.
Caminho até talvez sem caminhar...
Nos passos do corpo...

Socorro-me afogando-me.

Existo sem existência...

Queria ser um pouco mais do que homem,
Viver um pouco mais que a aparência da vida.
Sou um pouco mais que nada... sim, mas quero ser um pouco mais que tudo!

Resguardo-me na perturbação atmosférica da loucura,
Ainda a vida não me cansou.
Não é dinheiro ou fama, amor, saúde ou cultura, queria apenas ser um pouco mais do que homem...

Existo rodeado de inexistências,
todas as coisas, fúteis...
Mas não me canso de existir, ainda que já nem exista...
Não me canso de fazer, ainda que não faça...
Canso-me de tanto querer e tão pouco alcançar!
Canso-me de me ver sorrir engolindo o jantar...
Queria apenas ser um pouco mais do que homem... queria apenas, quem sabe, voar.. !

4 comentários:

  1. Tu és mais do que homem, mais do que qualquer homem! És tu. Diferente de tudo e todos :)

    ResponderEliminar
  2. ainda bem mesmo!
    gosto mesmo muito do que escreves, as tuas palavras tem tanto significado...

    ResponderEliminar